Ir para o conteúdo

Configurar Tarefa de Usuário

Após dar início a construção de um fluxo de trabalho é necessário entender como configurar uma tarefa de usuário para que sua experiência no momento de construir seja tão prática quando no momento que o usuário final utilizar o fluxo.

Antes de Começar

No mínimo, você precisará ter um fluxo sendo registrado pois não é possível salvar o fluxo caso ele não tenha um evento de entrada e um de saída, para que isso aconteça é necessário que entre os dois eventos tenha uma tarefa para que seja possível o usuário interagir com o fluxo de alguma forma.

Procedimentos para configurar a Tarefa de Usuário

  1. Abrir ou construir um Fluxo;

  2. Clicar na aba “Diagrama”;

  3. Para criar uma Tarefa de Usuário clique em Atividades para abrir as opções de atividades;

  4. Selecione Tarefa de Usuário clicando e arrastando para a área de desenho;

Com um clique duplo em cima da atividade abrirá as seguintes propriedades:

  • Identificação

    • Nome – da tarefa de usuário;
    • Descrição – para detalhar a tarefa do usuário;
    • Identificador – é uma sigla única para tarefa, serve para codificar Rhino e para formulário do neuro;
    • Contabilizar SLA – definir se “sim” ou “não” (o status “SLA Suspensa” aparecerá na interface de gestão de ticket);

    • Percentual de execução – campo informativo da quantidade que essa tarefa do fluxo tem em todo o fluxo;

    • É uma tarefa de aprovação? – definir se “sim” ou “não”;

  • Atribuição

    • Tipo Destinatário – selecionar se será para grupo ou usuário específico;

    • Tipo Atribuição – definir se a atribuição será de execução ou de acompanhamento;

    • Grupo – selecionar o grupo/usuário;

    • Ou Expressão – buscar por expressão já cadastrada previamente;

  • Ações do usuário

    • Selecione a ação do cadastro – buscar por ação já cadastrada previamente;

    • Botão de limpar – permite apagar o que foi escrito;

    • Botão de construção – permite construir uma nova ação ou expressão;

  • Ações de entrada

    • Construir expressão – definir uma expressão diretamente;

    • Selecionar a ação do cadastro – buscar por ação já cadastrada previamente;

  • Ações de saída

    • Construir expressão – definir uma expressão diretamente;

    • Selecionar a ação do cadastro – buscar por ação já cadastrada previamente;

  • Interface

    • Tipo de interação:

    • Definido no portfólio - é possível que um template de ticket (questionário ou formulário) apareça pontualmente em um estado do fluxo, utilizando o que foi configurado no atributo de serviço “Atividade” (requisição/incidente) - campos: “Template CRIAÇÃO” e “Template acompanhamento”.

    • Formulário padrão – do sistema;

    • Formulário Neuro - possui um identificador para chamar o fluxo disparado por este formulário;

    • Base de conhecimento

    • Vincular base de conhecimento – permite vincular uma base já existente;

  • Para realizar uma conexão com outro elemento do fluxo, clique uma vez no item que deseja conectar, aparecerá quatro pontos quadrados na cor laranja em volta do item, selecione a direção que deseja e araste o ponto laranja para o item que deseja que seja realizado a conexão;

  • Para utilizar a conexão da melhor forma é necessário configurá-la, para isso utilize o símbolo “+” que se encontra na cor laranja em cima da linha de conexão e com um duplo clique abra as seguintes propriedades:

  • Nome – para identificação na linha de conexão;

  • Condição – utiliza uma função que dá a devida condição para a linha;

  • Ação – utiliza uma ação específica para a finalidade da linha;

  • Estado – é uma expressão que gera um status para a atividade;

E agora, o que devo fazer?

Agora é necessário definir se será necessário o uso dos Gateways para a construção do seu fluxo, para saber melhor como utiliza-los acesse o documento – Controlar sequência com Gateway